"Não sei amar pela metade, não sei viver de mentiras, não sei voar com os pés no chão...."

sábado, 30 de abril de 2016


Penso que assim como na vida a mesmice por mais agradável que seja, ainda assim me desperta
a vontade de ter uma abertura maior para a vida, para o novo.


Eliana Quintão Cabral Diniz

sexta-feira, 22 de abril de 2016

Se não era amor


Se não era amor, era da mesma família. Pois sobrou o que sobra dos corações abandonados.
 A carência. A saudade. A mágoa. 
Um quase desespero, uma espécie de avião em queda que a gente sabe que vai se estabilizar, só não se sabe se vai ser antes ou depois de se chocar contra o solo.

Martha Medeiros.Trecho Divã.

domingo, 17 de abril de 2016

Feliz



"Li em algum lugar que há uma regra de decoração que merece ser obedecida: para onde quer que se olhe, deve haver algo que nos faça feliz."


 Martha Medeiros

domingo, 27 de março de 2016

As pessoas só fazem com a gente o que permitimos.





"É de minha responsabilidade não ficar triste, não deixar ninguém me magoar, não deixar que nada de ruim me aconteça."

Martha Medeiros

quarta-feira, 9 de março de 2016

Chega






Chega! Que mundo é esse, eu me pergunto
Chega! Quero sorrir, mudar de assunto
Falar de coisa boa mas na minha alma ecoa
Agora um grito eu acredito que você vai gritar junto 

A gente é saco de pancada há muito tempo e aceita
Porrada da esquerda, porrada da direita
É tudo flagrante, novas e velhas notícias
Mentiras verdadeiras, verdades fictícias
Polícia prende o bandido, bandido volta pra pista
Bandido mata o polícia, polícia mata o surfista
O sangue foi do Ricardo, podia ser do Medina
Podia ser do seu filho jogando bola na esquina
Morreu mais uma menina, que falta de sorte
Não traficava cocaína e recebeu pena de morte
Mais uma bala perdida, paciência
Pra ela ninguém fez nenhum pedido de clemência

Chega! Que mundo é esse, eu me pergunto
Chega! Quero sorrir, mudar de assunto
Falar de coisa boa mas na minha alma ecoa
Agora um grito eu acredito que você vai gritar junto
Chega! Vida de gado, resignado
Chega! vida de escravo de condenado
A corda no pescoço do patrão e do empregado
Quem trabalha honestamente tá sempre sendo roubado

Chega! Água que falta, mágoa que sobra
Chega! Bando de rato, ninho de cobra
Chega! Obras de milhões de reais
E milhões de pacientes sem lugar nos hospitais
Chega! Falta comida, sobra pimenta
Chega!Repressão que não me representa
Chega! Porrada pra quem ama esse país
E bilhões desviados debaixo do meu nariz
Chega! Contas, taxas, impostos, cobranças
Chega! Tudo aumenta menos a esperança
Multas e pedágios para o cidadão normal
E perdão pra empresas que cometem crime ambiental
Chega! Um para o crack, dois para a cachaça
Chega! Pânico, morte, dor e desgraça
Chega! Lei do mais forte, lei da mordaça
Desce até o chão na alienação da massa

Eu vou, levanta o copo e vamos beber!
Um brinde aos idiotas incluindo eu e você

Democracia, que democracia é essa?
O seu direito acaba onde começa o meu, mas onde o meu começa?
Os ratos fazem a ratoeira e a gente cai
Cada centavo dos bilhões é da carteira aqui que sai
E a gente paga juros paga entrada e prestação
Paga a conta pela falta de saúde e educação
Paga caro pela água, pelo gás, pela luz
Pela paz, pelo crime, por Alá, por Jesus
Paga importo paga taxa, aumento do transporte
Paga a crise na Europa e na América do norte
Os assassinos da Febem, o trabalho infantil na China
E as empresas e os partidos envolvidos em propinas

Presidente, deputados, senadores, prefeitos
Governadores, secretários, vereadores, juízes
Procuradores, promotores, delegados, inspetores
Diretores, um recado pras senhoras e os senhores
Eu pago por tudo isso, imposto sobre o serviço
A taxa sobre o produto, eu pago no meu tributo
Pago pra andar na rua, pago pra entrar em casa
Pago pra não entrar no Spc e no Serasa
Pago estacionamento, taxa de licenciamento
Taxa de funcionamento liberação e alvará
Passagem, bagagem, pesagem, postagem
Imposto sobre importação e exportação, Iptu, Ipva
O Ir, o Fgts, o Inss, o Iof, o Ipi, o Pis, o Cofins e o Pasep
A construção do estádio, o operário e o cimento
Eu pago o caveirão, a gasolina e o armamento
A comida do presídio, o colchão incendiado
Eu pago o subsídio absurdo dos deputados
A esmola dos professores, a escola sucateada
O pão de cada merenda, eu pago o chão da estrada
A compra de cada poste eu pago a urna eletrônica
E cada arvore morta na nossa selva amazônica
Eu pago a conta do Sus e cada medicamento
A maca que leva os mortos na falta de atendimento
Paguei ontem, pago hoje e amanhã vou pagar
Me respeita! Eu sou o dono desse lugar!



Gabriel O Pensador


quinta-feira, 3 de março de 2016

CONSCIÊNCIA




CONSCIÊNCIA

Temo que permaneçam invertidos
Os valores,
Que se tornem heróis 
Os corrompidos
Que se torne exemplo
A falta de dignidade

Temo que o fácil
Vire objetivo dos jovens
Que a corrupção seja
Uma simples infração
Diante da falta
De efetiva punibilidade

Temo que os braços erguidos
Não sejam sinal de luta
Mas de festejo
Pelo poder alcançado,
Que não serve à justiça
E dela zomba

Temo que honra
Provoque riso
E fujam da verdade
Os muitos indecisos,
Ludibriados, comprados,
Esquecidos do bem comum

Temo a modernidade,
Suas futilidades
E suas facilidades


Marilene Duarte
http://umcanto-recantodaalma.blogspot.com/

sábado, 27 de fevereiro de 2016

HOJE EU VOU SAIR NU







HOJE EU VOU SAIR NU 

Hoje quero sair despido... 
de preconceitos e outros defeitos. 
De medos, de segredos 
De culpas e desculpas. 
De egoísmo. 
Quero sair despido... 
De armas, de carmas, de revanchismo. 
Quero andar pela rua de alma nua. 
Sentir na pele o vento anunciando um novo tempo... 
tempo de se despir... 
de maldades, das más vontades. 
de amargas saudades. 
Hoje quero sair despido 
de tesouros, de maus agouros 
sorrir pra toda gente 
de modo espalhafatoso 
dar à vida novo sentido e nova razão 
quero tudo diferente 
se o mundo for teimoso,
vou andar na contramão. 
O amor é minha luz 
Meu desejo é olhar para trás 
e ver todos nus 
para fazerem jus 
e assim vestirem a vestimenta da paz. 


Carlos Menino Beija-flor
http://gvpoeta.blogspot.com.br/


segunda-feira, 22 de fevereiro de 2016

Abraço


Que vontade a gente sente um monte de vezes de ir lá pertinho do ponto exato onde mais dói alguém que amamos e soprar a tal dor para um lugar onde ela não machuque mais ninguém.
Como não podemos, abraçamos, que o abraço é também um jeito de dizer: “vai passar, está passando; eu estou aqui com você.”
 
Ana Jácomo

domingo, 21 de fevereiro de 2016

Nunca desistir




Não importa o quanto às vezes seja difícil, o quanto às vezes eu me atrapalhe, o quanto às vezes eu seja a densa nuvem que esconde o meu próprio sol, quantas vezes seja preciso recomeçar:
 combinei comigo não desistir de mim.


Ana Jácomo

sábado, 13 de fevereiro de 2016

O Rio e o Oceano


“Dizem que antes de um rio entrar no mar, ele treme de medo. Olha para trás, para toda a jornada que percorreu, para os cumes, as montanhas, para o longo caminho sinuoso que trilhou através de florestas e povoados, e vê à sua frente um oceano tão vasto, que entrar nele nada mais é do que desaparecer para sempre. 
Mas não há outra maneira. 
O rio não pode voltar. 
Ninguém pode voltar. 
Voltar é impossível na existência. 
O rio precisa de se arriscar e entrar no oceano.
E somente quando ele entrar no oceano é que o medo desaparece, porque apenas então o rio saberá que não se trata de desaparecer no oceano, mas de tornar-se oceano.”

Osho

sábado, 6 de fevereiro de 2016


Já havia esgotado todas as suas possibilidades.
Daquele ponto, não mais podia prosseguir
com os próprios pés.
Deixou, então, que seus olhos se entregassem
à contemplação do infinito

terça-feira, 19 de janeiro de 2016

Expectativas


“Não nasci para ser adequada, coerente, adorável. Nasci para ser gente. Para sentir de verdade. Tenho vocação para transparências e não preciso ser interessante o tempo todo. Por isso, não espere que eu supere as suas expectativas: às vezes, nem eu supero as minhas.”

Marla de Queiroz

sábado, 2 de janeiro de 2016

Ano Novo


Estou mais exigente em minhas escolhas. 
Não falo de exigências que me projetem para o contexto infértil do perfeccionismo. 
Não. É no contrário que caminho. 
Decidi que vou desobrigar-me dos fardos de expectativas alheias. 
Quero desconstruir todas as estradas que me apartaram do essencial. 
Perdi tempo demais com urgências infundadas, com olhares que me exigiam o que a elas não pertenciam. 
Prestei pouca atenção nas necessidades da minha alma, 
e tudo repercutiu no corpo. 
É hora de fazer o ano ser novo de novo. 
Sem metas, sem prisões de previsões. 
O ano novo por ele mesmo.
Menino que recebo em casa, sem os vícios impostos pela educação 
que socializa a hipocrisia como regra de boas maneiras. 
Quero mais calma, mais estradas, menos destinos determinados.
Quero conhecer a felicidade que não precisa ser elaborada para acontecer, observar de perto os que funcionam a partir de um mecanismo bem mais simples que o meu. 
Os que não guardam rancor, os que vivem sem culpas, os que se reservam mais, os que escutam mais do que dizem, os que amam sem ilusões.
Quero do tempo a pergunta fundamental, o sussurro de Deus nos meus ouvidos, a voz conselheira que me diz em íntima cumplicidade:

vai, meu filho, vai ver a beleza do mundo que hoje lhe preparei.


Padre Fábio de Melo

quinta-feira, 10 de dezembro de 2015

Intensa




Às vezes eu tenho vontade de ser menos intensa, só pra poder entender como o resto do mundo aguenta essas coisas que me devoram permanentemente e de uma forma tão absurda...” 


Clarice Lispector

sexta-feira, 13 de novembro de 2015


Livrai-me do que desbota a minha lucidez e da alienação de achar que a felicidade está no Outro e não em mim. Que seja assim.


Marla de Queiroz

domingo, 25 de outubro de 2015

Jabor

Veja e sinta as coisas como se elas fossem o que realmente são: passageiras. Acorde de manhã e decida entre duas coisas: ficar de mau humor e transmitir isso adiante ou sorrir… Bom mesmo é ter problema na cabeça, sorriso na boca e paz no coração!
Aliás, entregue os problemas nas mãos de Deus e que tal um cafezinho gostoso agora? A vida é uma peça de teatro que não permite ensaios. Por isso cante, chore,dance e viva intensamente antes que a cortina se feche!
Arnaldo Jabor

terça-feira, 15 de setembro de 2015

Adoro ...




‎"Adoro Reticências...

Aqueles três pontos intermitentes que insistem em dizer
que nada está fechado, que nada acabou, que algo sempre está por vir!
A vida se faz assim!
Nada pronto, nada definido.
Tudo sempre em construção.
Tudo ainda por se dizer...
Nascendo...
Brotando...
Sublimando...
Vivo assim...
Numa eterna reticência...
Para que colocar ponto final?
O que seria de nós sem a expectativa de continuação?"




(Nilson Furtado)

sábado, 15 de agosto de 2015

Ser Feliz



“Você é feliz? Não espalhe, já que tanta gente se sente agredida com isso. Mas também não se culpe, porque felicidade é bem diferente do que ser linda, rica, simpática e aquela coisa toda. Felicidade, se eu não estiver muito enganada, é ter noção da precariedade da vida, é estar consciente de que nada é fácil, é tirar algum proveito do sofrimento, é não se exigir de forma desumana e, apesar disso tudo, conseguir ter um prazer quase indecente em estar vivo.’




sábado, 11 de julho de 2015

Se-eu-pudesse-começar-de-novo




A vida é muito curta.
Isto é fatal.
Mas,

se eu pudesse começar de novo,
tomaria certos cuidados que nem sempre tomei: 
Jamais teria permitido que me prendessem,
ainda que em nome do amor.

Teria quebrado as correntes logo no início.
Teria tido menos pressa
e mais coragem.

E nenhum sentimento de culpa.
Daria valor secundário
a todas as coisas secundárias,
e consideraria secundário tudo aquilo
que não tivesse o efetivo poder de causar
mudanças significativas no rumo
da minha vida.

Todas as manhãs começariam
com meditação, orgasmo e frutas leves.

Se pudesse começar de novo,
dançaria muito mais
do que dancei,
e brincaria muito mais do que brinquei.

Minha Vida seria uma festa...
Se pudesse mesmo começar de novo,
seria mais espontâneo.

Seria mais ousado:
A ousadia move o mundo.

Desobedeceria
todas as regras injustas,
e afastaria os preconceitos e a hipocrisia.

Procuraria respeitar sempre
o Deus de cada um.

Teria viajado muito mais do que viajei.
Correria mais riscos.
E teria tido seis milhões de amores profundos...
Se eu pudesse começar outra vez,
iria aprender com os erros dos outros,
e com os acertos também.

Andaria mais leve:
não levaria comigo nada que fosse
apenas um fardo.

Não teria desperdiçado tanta vida
e tanto tempo.

Não teria tentado salvar todo mundo.
Amaria muito mais a liberdade.
Viveria cada minuto
como se Deus
derramasse flores e estrelas na minha cabeça.

Tentaria uma coisa nova
todos os dias.

Em tudo que fizesse colocaria
mais Poesia,
mais Amor, mais Alegria.

E teria feito a opção de ser feliz
muito mais cedo
do que fiz.


Edson Marques

sábado, 13 de junho de 2015

Eterno




Eterno,
 é tudo aquilo que dura uma fração de segundo, 
mas com tamanha intensidade, que se petrifica, 
e nenhuma força jamais o resgata

Drummond

sábado, 23 de maio de 2015

Caminhos



Você me pergunta
Aonde eu quero chegar
Se há tantos caminhos na vida
E pouca esperança no ar

E até a gaivota que voa
Já tem seu caminho no ar
O caminho do fogo é a água
O caminho do barco é o porto
O do sangue é o chicote

O caminho do reto é o torto
O caminho do bruxo é a nuvem
O da nuvem é o espaço
O da luz é o túnel
O caminho da fera é o laço

O caminho da mão é o punhal
O do santo é o deserto
O do carro é o sinal
O do errado é o certo
O caminho do verde é o cinzento
O do amor é o destino
O do cesto é o cento

O caminho do velho é o menino
O da água é a sede
O caminho do frio é o inverno
O do peixe é a rede
O do vil é o inferno

O caminho do risco é o sucesso
O do acaso é a sorte
O da dor é o amigo
O caminho da vida é a morte!

“E você ainda me pergunta:
aonde é que eu quero chegar,
se há tantos caminhos na vida
e pouquíssima esperança no ar!
E até a gaivota que voa
já tem seu caminho no ar!”


Raul Seixas &
Paulo Coelho

sexta-feira, 15 de maio de 2015

Sabe porquê o amor é cego?



Sabe  porquê o amor é cego?

 Porque a gente não ama cabelo, 
não ama a roupa, não ama o corpo, não ama a cor dos olhos, 
e enfim, não amamos o físico. 
A gente ama o sentimento, a atenção, 
o carinho e isso não se vê, se sente.



(Não sei a autoria)

segunda-feira, 11 de maio de 2015

Direção do sol.


Tome a tua vida em tuas mãos,
e não entregue a direção dela a ninguém.
Por mais que te amem, por mais que desejem, o teu bem,
só você é capaz de sentir o que realmente sente,
e aquilo que você passa de impressão para os outros,
nem sempre corresponde ao que vai na sua alma.
Quantas vezes você já sorriu para disfarçar uma lágrima teimosa?
Quantas vezes quis gritar e sufocou o pranto?
Quantas vezes quis sair correndo de algum lugar
e ficou por educação, respeito ou medo?
Quantas vezes desejou apenas um beijo,
e ficou com a boca seca esperando o que não veio?
Quantas vezes tudo o que você desejou era apenas um abraço,
um consolo, uma palavra amiga e só recebeu ingratidão?
Quantos passos foram necessários para chegar até onde você chegou?
Quantos sabem dar o valor que você realmente merece?
Criticar é fácil, mas usar o seu sapato ninguém quer,
vestir as suas dores ninguém quer,
saber dos seus problemas?
só se for por curiosidade,
por isso, não entregue a sua vida nas mãos de ninguém,
nada de acreditar que sem essa ou aquela pessoa,
você não vai viver…
Vai viver sim, o mundo continua girando,
e se você deixar, pode te trazer algo muito melhor.
Pegue a direção da sua vida e aponte rumo ao Sul,
lá onde a placa diz “caminho do sol”,
bem na curva da felicidade, que te espera
sem pressa, para viver com amor e intensidade,
a paz, a harmonia e a felicidade.

Paulo Roberto Gaefke